Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

#Resenha: Azul é a cor mais quente

by - setembro 21, 2014

Oi, gente! 
Hoje eu trago a vocês a resenha de Azul é a cor mais quente (faz tempo que não posto sobre filmes, né?). Desde que estreou eu queria ter tido a oportunidade de assisti-lo, por causa das críticas, mas acabou que não pude ir ao cinema vê-lo, porque trabalhava e tal. Mas tive a oportunidade de vê-lo pelo youtube aqui (com legendas em português) na semana passada e somente estou fazendo a resenha porque eu preciso parar de pensar nele, haha! 


Título Original: La vie d'Adèle
Direção: Abdellatif Kechiche
Nacionalidade: França
Duração: 180 minutos
Ano: 2013




O filme é baseado no romance gráfico Le Bleu est une couleur chaude, de Julie Maroh, que narra a vida de uma garota que se apaixona por outra e tem de lidar com as consequências deste amor. Vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes, a adaptação tem uma duração longa (três horas), A princípio, isso já nos deixa com preguiça - mas, como eu adoro filmes franceses, eu encarei numa boa. Assistia meia hora e ia fazer outra coisa e, no fim, deu tudo certo. 

Somos apresentados à Adèle, uma adolescente no último ano do colégio que tem uma vida, aparentemente, meio chatinha. Há vááárias cenas monótonas mostrando-a no ônibus à caminho da escola, ou dormindo. Acho que tentaram dar um ar de continuidade com essas cenas, não sei. Sei que, sem elas, daria na mesma. Dá para perceber que ela é muito angustiada e solitária e que busca algo na vida, uma espécie de salvação. Tive a impressão de que ela apenas queria ser aceita e, mesmo que um colega de escola gostasse dela, aquilo não era o bastante. É uma personagem bastante confusa quanto ao que quer, em termos amorosos. Até que ela se encontra com Emma, uma garota mais velha, na rua. Elas se olham e Adèle fica com Emma na cabeça. Acho que foi uma coisa meio "amor à primeira vista". 

Os dias se passam. Adèle vai a um bar gay e, ocasionalmente, encontra-se com Emma. As duas conversam e a coisa fica por aí. Mais dias se passam e Emma aparece na escola de Adèle. As amigas de Adèle logo ficam querendo saber quem é Emma e começam a falar que, se Adèle é gay, era melhor ter contado. Essa é a única parte "com ação": há uma briga entre Adèle e seu grupinho, com puxões de cabelo e tal. Mas é bom salientar que Adèle não se importa realmente se é, ou não, lésbica. A meu ver, creio que ela não seja. Ter ficado com Emma foi apenas uma reação a sua solidão. Creio que ela encontrou alguém que a aceitava como era - apesar de algumas situações quanto à sua carreira de professora - e não quis saber se a pessoa era um homem ou uma mulher, e mergulhou de cabeça. E tem outra: não acho que havia muito amor entre elas; creio que o tema era sobre o amor entre duas mulheres, mas, talvez pelas cenas de sexo, fiquei com a impressão de que era somente isso: sexo. E eu nem achei que elas se combinavam, de forma geral. Acho que as cenas bizarras de sexo acabou um pouco com o "romance". 

O filme inteiro é bastante cru, bastante real. E é muito fácil dizer que aquilo que se passa na tela poderia acontecer com qualquer um. Talvez não seja uma coisa com a qual todos possam se identificar, mas é inegável que passa muita veracidade. Há um espécie de "doçura" na trama, mas não posso deixar de dizer que, a meu ver, é um filme forte, que choca por vezes. 

Emma é mais velha, então tem uma bagagem cultural maior e pensa grande. Isso, às vezes, faz com que elas entrem em brigas implícitas e explícitas. Adèle quer ser professora, e apenas isso. Talvez, pelo fato de Emma ser uma artista (ela é pintora), tenha uma mente muito diferente da de Adèle. 

É bom salientar que Adèle, em momento nenhum, se sente culpada por estar com Emma. Ou seja, ela não tenta se martirizar por aquele amor. Aliás, elas nem passam por muitos preconceitos (nada além da cena da briga na escola). Claro que, no mundo perfeito, isso é que deveria acontecer, mas achei que faltou muita reação das pessoas ao redor, inclusive dos pais da Adèle. Aliás, os pais dela são algo nonsense demais, porque depois que as duas começam a namorar, Adèle se muda para a casa de Emma e não dá pra saber se seus pais estão, ou não, de acordo, ou o que pensam da situação. A meu ver, existem cenas que aceleram demais (e que deixam muitas perguntas) e outras que desaceleram e que não precisariam de tanto enfoque. 

De forma geral, é um filme ok pra se ver quando se tem bastante tempo livre. De modo algum você vai se arrepender, mas vai achar muitos pontos negativos (pelo menos, eu achei). A temática é, em si, inusitada e acho que merece destaque justamente por isso. Como supracitado, não achei que o que existia entre elas era amor (do tipo real mesmo), mas acho que essa interpretação vai de pessoa pra pessoa. As atrizes estão de parabéns, são ótimas e convincentes. Acho que ambas entraram nas personagens e nas cenas de um modo que é impossível dizer que, ao menos neste quesito, haja um ponto negativo. Acho que as atrizes são justamente o ponto mais forte do filme, pois elas são autênticas e passaram muita autenticidade às suas personagens. 






E aí, quem já viu? E qual é a sua opinião? 


Love
Nina  

You May Also Like

12 comentários

  1. Não, ainda não tive a oportunidade de ver, e só pelo quesito de ser muito longo já desanima bastante. Entretanto, eu ainda desejo vê-lo, principalmente após esta resenha que, nossa, achei bem detalhada. Eu meio que formulei todas as cenas aqui e fiquei com mais vontade ainda, porque simplesmente adoro filmes que nos permite ir além dessas mesmíssimas histórias de sempre, e esse me pareceu bem diferente!
    Enfim, adorei!! Gosto de resenhas de quem se pode obter confiança no que diz, no que escreve.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Bem, eu não vi, mas achei sua review MTOOO boa! Olha, sua opinião foi defendida com mta segurança. Não sei se vou assisti-lo, já que ele é mto grande rsrsrssr bjus, Nina!
    http://livroarbitriodotco.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  3. Nina, eu vou acabar vendo esse filme, tipo assim, amanhã, porque eu quase o vi ontem mas a minha amiga estava aqui em casa e eu sou aquela minoria que gosta de filmes franceses, você sabe como é.. hahahhaa
    Pena que tenham essas cenas chatinhas e inúteis, mas, eu estou angariando filmes franceses, por causa do Silva (sim, há esperança para Entre Aspas! <3).

    Beijos, amore.
    Love,
    C.

    www.caixa-a-a.com

    ResponderExcluir
  4. Oie Nina! ^^
    Eu não sabia da existencia desse Filme, entretanto já escutei falar de um Livro com o mesmo Título, então acredito que esse Filme seja uma adaptação do Livro!
    Então como fiquei interessada na história vou procurar o Livro para ler, e depois quem sabe conferir o Filme, pois pelo o que Você falou o filme teve bastante aspectos negativos, talvez no Livro isso esteja mais completo!
    Beijinhos e até! ^^
    Ótima resenha!
    Sou do Blog:
    http://worldofmakebelieveblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi Nina!
    Nunca vi esse filme, mas já tinha ouvido falar. Nem sabia que a história era assim.
    3 horas? Coragem pra assistir, rs. Cenas de sexo bizarras? #tenso kkk
    Sua resenha ficou ótima!
    Beijos
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Já andava de olho neste livro, ainda mais depois que fiquei sabendo do filme, mas não é uma leitura urgente, mas quem sabe eu não vejo o filme antes né?! Espero não me decepcionar!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  7. Olá Nina! Primeiro, deixa eu agradecer pela sua visita e comentário no meu blog, volte sempre *-* enfim, você achou A menina que roubava livros chatinho por quê? Realmente, o começo do livro não é muito empolgante, achei massante, arrastado mas eu persisti e, como o livro não era meu, quis terminar de ler ele todo pra poder devolver e achei muito bonito, quase chorei no fim! E esse do Gabo(Amor nos tempos do cólera), todos falam muitíssimo bem desse livro que estou curiosíssima pra ler, kkkk.

    E esse filme também tem sido beeeem comentado, gerando a minha super curiosidade, mas quando eu tiver um booooom tempo(já que o filme é longo), tentarei vê-lo para poder tirar minhas próprias conclusões, rs.

    Beijinhos.
    http://envoltaempalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bom?
    Já assisti esse filme e tive a mesma opinião que você.
    Gostei bastante e também acho que tiveram algumas cenas que deixaram á desejar e outras que ao meu ver, foram desnecessárias. Sem falar do final que me deixou um pouco insatisfeita.
    As atrizes foram um show a parte, houve uma conexão entre elas, atuaram super bem.
    Adorei seu post.
    Seguindo o blog.
    Beijos
    Construindo Estante || Facebook

    ResponderExcluir
  9. Ah essas duas lindas <3
    Eu adoro esse filme.
    Leu a HQ? Dizem que é bem melhor e diferente :)
    beijos,

    whoosthatgirrl.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Uma colega comentou sobre esse filme dizendo ser realmente muito bom.
    Vou deixar anotado para não esquecer de assistir *-*

    ResponderExcluir
  11. É um filme que está na minha lista desde que foi lançado. Só tenho ouvido elogios a respeito.
    Falando em elogios, você está de parabéns pelo blog lindo.

    ResponderExcluir
  12. Nina, você falou tudo o que eu penso. Aquilo ão era amor, era uma coisa de pele mesmo. A Adèle é uma incógnita. Só posso dizer uma coisa: esse filme é marcante!

    Beijos,
    Karina do blog Eu e Minha Cultura.

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário! Que tal deixar o link do seu blog para eu fazer uma visita a você depois? :D



INSTAGRAM