Editado por Alice Gonçalves . Tecnologia do Blogger.

#Pena & Tinta: adeus ano velho

by - dezembro 31, 2016

Você precisa saber algo: 2016 me deu algumas lições incríveis e gratificantes.

Aprendi que, às vezes, é preciso estar sozinha, porque existem caminhadas que entenderemos apenas assim: confiando mais em nós, sem dar ouvidos a terceiros (por mais estimáveis e empáticas essas pessoas possam ser). Em 2016, eu tive depressão. Procurei ajuda profissional, mas não foi nada como esperei - foi ruim. Só fiz duas sessões e não apareci mais. Em 2016, aprendi a aceitar as palavras dos outros. Foi assim que aprendi gratidão e resignificação. A partir de maio, consegui estruturar melhor minha mente. Dizer a ela que o que quer que tivesse acontecido em 2015 não era mais quem eu queria ser. Porque eu estava cansada de não sentir nada na maior parte do tempo e de sentir muito em momentos específicos. Em 2016, eu aprendi a controlar a minha mente. E a controlar quem eu não queria mais ser. 

Quem eu ainda queria ser não queria mais aceitar pessoas tóxicas, oportunistas e duas caras. Nessa época, eu ainda estava muito frágil e estava enfrentando um processo de reencontro interno muito delicado. Eu não sabia se queria levantar da cama e dar de cara com os fracassos do dia. Mas resignificar me ajudou muito - mudou muito a me reencontrar, aliás. 

Todos os lugares e pessoas e lembranças ruins, que me causavam ansiedade e ataques de pânico, foram modificados. Eu tive que dizer a mim mesma para parar de ter medo desses lugares e pessoas e lembranças. Porque o medo não ia me privar de essas coisas existirem ao meu redor, em meu convívio e em minha rotina. Foi bem na época que eu comecei uma atividade diária nova. Em 2016, eu aprendi a amar a meditação. Faz quase seis meses e foi uma das melhores coisas que descobri na minha vida. A meditação me ajudou, em definitivo, a controlar a minha mente - e, em conjunto, a minha ansiedade e meu medo. São somente dez minutos à noite, antes de dormir. Isso mudou a minha vida. Finalmente, aquela pessoa de quem estava cansada de ser começou a ir embora. É claro que ainda é um processo. A depressão e, em especial, a ansiedade ainda estão aqui, ainda existem. Mas é como se, de onde estou agora, estivesse segurando um lado de uma corda muito, muito, muito comprida, que termina onde eu nem me lembro mais. 

Em 2016, eu esqueci como era lidar com o choro até adormecer. Mas também tive decepções com pessoas que admirava. Comecei a ficar triste num lugar que ainda amo. Percebi que ninguém é confiável tanto assim. Percebi que a maioria te pergunta as coisas porque quer mesmo sabê-las. Algumas pessoas já sabem as respostas e estão somente brincando com a sua cara. Outras, só querem especular a sua vida. Outras ainda só querem rir da sua desgraça ou escrachar sua felicidade. Dessa forma, aprendi a parar de confiar tanto nos outros e acreditar mais em mim mesma. 

Eu tive que encontrar uma maneira de lembrar quem eu era, o meu eu verdadeiro. Tive que lembrar o quanto escrever é quem sou, o quanto preciso continuar no mundo, o quanto outras pessoas dependem das tarefas que faço, mesmo que haja ingratidão. Aprendi que vou desagradar alguns, que vão tentar me derrubar e que vão dar a mínima para mim. Mas, apesar disso, eu vou continuar sendo eu. Vou continuar navegando para longe, bem longe, dessa gente. Porque eu não dependo de quem me destrata, quem me rebaixa, quem acha que pode brincar comigo e ir embora. 

Em 2016, eu aprendi que as coisas ruins podem melhorar. Que vamos voltar ao mesmo mar alguma hora. Que vamos reencontrar aquele pedacinho de nós mesmas que ficou para trás. Porque, de pedacinho a pedacinho, a gente se reconstrói. E se gosta cada cada vez mais. 

Em 2016, eu descobri uma paz espiritual incrível. Aprendi sobre perdoar o outro e perdoar a mim mesma. Aprendi sobre amor-próprio. Aprendi que está tudo bem não estar bem o tempo todo. Que somos frágeis, mas que nossa força só está esperando o momento certo para se mostrar. Aprendi que os lugares, as pessoas e os momentos vão embora. E está tudo bem. Porque não precisam ficar o tempo inteiro. Porque bom mesmo é dizer adeus para aquilo que não funciona mais. 

Então, adeus, 2016.  E obrigada por ter deixado cicatrizes que não doem mais. 


Imagem: arquivo pessoal.
Sim, eu fiz minha primeira tatuagem.
Para que eu continue lembrando que sou a minha própria força.

"É possível encontrar a felicidade mesmo nas horas mais sombrias, 
basta se lembrar de acender a luz".
~ Alvo Dumbledore

///

Esse texto faz parte do projeto Pena & Tinta 
Pena & Tinta é um projeto de escrita criativa com o objetivo de criar textos (crônicas, contos, poesias, relatos pessoais etc) mensalmente em cima de temas predeterminados. 
Você tem um blog e quer fazer parte do projeto? Legal, vem que a gente te espera AQUI.

Um dos temas de Dezembro era escrever um texto sincero de formato livre 
sobre o que aconteceu em 2016.

Love, Nina :)

You May Also Like

17 comentários

  1. Parabéns por ter superado tanta coisa e ter conquistado muita coisa também, esse texto com certeza inspira as pessoas. E que tatuagem linda, viu? Amei. Que 2017 seja maravilhoso para ti! ♥

    http://devaneiodeflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Um assunto bem delicado, parabéns a sua força de partilhar isso conosco.
    Por que não se adaptou a terapia?
    Tenho períodos de profunda tristeza e desconfio que seja depressão, porém tenho medo de ir ao médico e realmente ser isso.
    A cada dia temos uma conquista, fico feliz que você esteja celebrando cada uma delas, independente das falhas, com as quais você também aprendeu.

    www.ocasulodasletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Sua tatuagem reflete seus aprendizados, menina! 2016 foi um ano que refleti demais sobre tanta coisa.
    Acho que as conclusões que cheguei foram muito importantes.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  4. Nina querida, quanta coisa linda que tu aprendeu esse ano e agora conseguiu trazer nessa postagem linda, espero e desejo que 2017 seja incrível para ti e que possa evoluir tanto quanto conseguiu, muito linda a sua tatuagem e bela escolha <3

    ResponderExcluir
  5. Cada vez que venho aqui saio mais e mais encantada com seus textos! Realmente, são os momentos difíceis que nos trazem as maiores lições de vida, não seria diferente com um ano que foi tão difícil não é?
    Amei seu texto, parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Ei minha cara, mudei minha cara, mas por dentro eu não mudo. Cada vez me convenço mais que somos bem parecidos. Nina, Nina, Nina, se eu pudesse voar. Eu já passei por todos esse processos e a compreendo. Meditar me ajuda muito, embora sinta que ainda não tenha consigo meditar de fato, me livrar de todos os desejos e pensamentos, mas tento por mais ou menos uma hora por dia. Um dia, quando as asas dos corvos nos for apenas sombra e refresco no deserto, estaremos lá...

    ResponderExcluir
  7. Pelo jeito 2016 foi um ano de muito aprendizado! Sua tatuagem é linda, e o que ela representa mais ainda. Parabéns pela coragem <3 Beijos, Ju
    docurailusoria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Texto encantador Nina!
    Espero que 2017 também seja um ano repleto de bons aprendizados, superações - que sempre acabam estando presentes -, felicidade, amor - o próprio e o pelo próximo -, etc etc etc.
    Sobre a tatuagem... não sei qual é mais lindo, ela ou seu significado.

    Beijoos!

    ResponderExcluir
  9. Nina sendo Nina
    Seu texto está incrível como sempre... O ano de 2016 foi um ano dificil, que eu sem a menor duvida nao irei sentir a minima falta... que 2017 seja o nosso ano!
    Amei a sua tatuagem e a frase do Dumbledore foi a cereja do bolo do seu texto incrivel

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  10. Parabéns pela partilha através de seu texto, foi de muita coragem! Que 2017 seja repleto de realizações na sua vida, que você tenha muitos motivos para sorrir e que possa continuar evoluindo espiritualmente.

    Bjs
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. "Aprendi que vou desagradar alguns, que vão tentar me derrubar e que vão dar a mínima para mim. Mas, apesar disso, eu vou continuar sendo eu." Não podia deixar de citar essa parte, porque realmente ser você mesma é o que mais importa. Estar feliz consigo, mesmo quando os outros insistem em apontar os defeitos, fazer o que você acha certo, mesmo com diversas opiniões contrárias, são essas coisas que nos libertam. É bom ter alguém que você ama ao lado e saber que esse alguém também te ama, mas às vezes tudo o que precisamos é ficar um tempo sozinho e aprender que amor próprio é essencial.
    Que 2017 venha ser um ano de muitas conquistas e que você tenha mais motivos para sorrir que para chorar.
    Parabéns por esse texto! E uau, que tatuagem maravilhosa!

    Beijos
    maresdanoitte.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oi Nina, este projeto Tinta e Pena é ótimo em nos fazer conhecer textos únicos. Eu já estava amando seu texto, mas me entreguei profundamente quando você postou a foto de sua tatuagem dizendo que era para lembrar que você era sua própria força. Maravilhoso e verdadeiro isso. Parabéns.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  13. Olá Nina, tudo bem?
    Eu amei a ideia desse projeto e amei ainda mais os seus textos. Parabéns. Você tem uma forma unica e fluida de escrever. Continue assim quero ler muitos mai textos seus. Parabéns pela tatuagem e por ter descoberto em 2016 que você é a sua própria força, uma revelação e tanto para enfrentar 2017 de cabeça erguida. Feliz ano novo!

    ResponderExcluir
  14. Olá !!! Um feliz 2017 para você e toda família !!!
    Que o novo ANO tragaa lindos momentos e grandes realizações
    super bjooooo

    ResponderExcluir
  15. Que texto lindo. Adorei. E ainda mais a tatuagem com o tema HP. Esses livros sempre foram e serão inspiração de força e superação. Muito bom!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Oi Nina! :D
    Admito que estou escrevendo esse comentários com os olhos transbordando quase, 2016 foi um ano que obviamente teve muitas coisas boas, mas também tive decepções e muito medo... A parte do medo ainda está aqui e consigo sentir ela sempre que fico ansiosa demais o que é quase sempre!!!! Estou tentando aprender a lidar com isso, mas é difícil quando não me sinto a vontade para falar em voz alta o que penso e sinto, o que me incomoda, as coisas que eu não tenho respostas. Espero também conseguir superar isso e que 2017 seja um ano maravilhoso para nós! <3
    Amei a tatuagem, ficou linda! <3 <3 <3

    ResponderExcluir
  17. Olá Nina!
    tudo que a gente passa nessa vida é um aprendizado, vamos nos decepcionar muito, mas nem por isso podemos nos abater. Devemos seguir em frente e sempre se reinventar. Se do jeito que estamos vivendo não dá mais, mude seja outra pessoas, mas sem com a felicidade depositada em si mesma. Fico muito feliz que você deu a volta por cima e que em 2017 você seja muito feliz.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo comentário, mas, para evitar passar vergonha na internet, por favor, não seja LGBTQfóbico(a), racista ou machista. O mundo agradece :)
Qualquer preconceito exposto está sujeito à remoção.

Torne o mundo um lugar melhor: não seja babaca :)



INSTAGRAM