8 de janeiro de 2017

#LeiaMulheres 2017


Em 2016, eu conheci e participei do projeto Leia MulheresEu cresci lendo mulheres. Possivelmente, hoje, 80% da minha estante é composta por mulheres. Não significa que eu veja um livro e o segregue pelo gênero autoral. Eu não escolhi ler, majoritariamente, mulheres. Isso foi acontecendo ao longo dos anos. Sim, eu leio homens e acho que eles são incríveis no que escrevem. 

Mas uma breve história verídica: a J. K. Rowling, a autora de Harry Potter, foi orientada por seu editor a não mencionar seu primeiro nome, pois "garotos não leem mulheres".

Não é bobagem. Acontece e muito. Toda hora uma mulher escritora é silenciada - seja na supressão de seu nome verdadeiro, seja em seu conteúdo, seja em seu gênero narrativo, seja em festivais literários. 

Neste ano, eu fiz uma pesquisa usando esse post das Valkirias e esse, d'AzMina para conseguir chegar a uma lista de autoras para a meta. Depois de escrita, percebi que o "mote" desse ano é ler mulheres que nunca tinha ouvido falar. Apesar de conhecer três delas, a maioria eu nem ao menos sabia da existência! Outra coisa que percebi esse ano é que a lista está mais diversificada. Há mais mulheres brasileiras, mas também uma africana e uma indiana <3

Não conheço a Maria Giulia Pinheiro, nem seu trabalho. Nunca ouvi ninguém mencioná-la. E foi justamente por isso que ela está na minha meta. Alteridade é um livro sobre uma mulher. É sobre o estupro e as várias formas de violência feminina. Se a temática já não tivesse me convencido de cara a lê-lo, tem um bônus: é um poema-conto-dramático. Fiquei muito curiosa para ler uma história permeada por mais de um gênero narrativo. Achei a proposta incrível e única. 

Conheci a Martha Batalha muito recentemente, a partir da página da Companhia das Letras, por causa das postagens sobre este mesmo livro, A vida invisível de Eurídice Gusmão. A capa dele me remeteu a um gênero que não é o proposto, mas ao ler a sinopse entendi que a narrativa é tão real e próxima, que o coloquei imediatamente na minha lista e, posteriormente, o adicionei nesta meta. O protagonismo que a autora pretende dar às mulheres "belas, recatadas e do lar" do século XX é muito necessário e convincente

Lubi Prates é outra escritora que eu não conhecia. No entanto, quando soube que Triz é composto por poemas me ganhou na hora. A temáticas também me atraíram bastante: busca pelo seu lugar (social e de fala), distâncias, deslocamentos, amor e desamor. Parecem versos fortes e suaves ao mesmo tempo, algo que me encanta muito na poesia. 

A Maria Luíza Mendes Furia é mais uma autora desconhecida por mim. O título Vênus em Escorpião me chamou atenção de cara (e eu achei muita graça), porque, segundo meu mapa astral confirmado por um amigo, meu Vênus é em Escorpião *insira aqui muitos risos* *insira aqui muita sofrência, também*
Outra obra de poesias, então, me convenceu de vez a lê-lo. Temáticas como a natureza, a saudade e o erotismo compõem os poemas. 

Eu não acompanho as carreiras de mulheres da música pop, então, nunca soube que Warsan Shire escreveu a maioria dos textos do álbum "Lemonade", da Beyoncé. O que me convenceu a ler Teaching my mother how to give birth foi o fato de não existir tradução, existe somente em inglês. Faz pouco tempo que tenho me aventurado a ler poesia em inglês (tudo culpa de uma escritora indiana-africana sensacional chamada Yrsa Daley-Ward; recomendo fortemente Bone), mas quero demais continuar com isso em 2017. A literatura de Warsan é permeada de suas experiências com a feminicidade, a negritude, o deslocamento e o pertencimento diante da realidade da diáspora africana.


Talvez você já deve ter visto alguns poemas da Rupi Kaur no Instagram. Algumas páginas no Facebook também têm compartilhado fotos do livro Milk and honey, apesar de não dar créditos à autora (e nem ao menos saber que ela é uma mulher!!!!). Eu a conheci há vários meses, totalmente ao acaso, enquanto fazia algumas pesquisas pela Amazon. Desde então, as poesias dela têm me dado várias perspectivas e muita coragem para continuar vivendo e amando a vida. Ela se expressa a partir de versos reduzidos, mas que nos tocam com muito delicadeza. Escreve sobre a vida, o amor, o desamor, desilusões, felicidade, solidão. A Rupi está nesta lista, pois quero, finalmente, ler a obra na íntegra. A Planeta de Livros Brasil vai lançá-lo ainda este mês (pensa numa pessoa muito feliz!!!).


Não dá para saber quem é a Una (fui atrás de biografia e fotos, mas cadê?), mas em Desconstruindo Una, a realidade dela é exibida ao leitor em forma de quadrinhos. Durante boa parte do ano passado, essa HQ esteve aparecendo para mim em promoções, mas, devido ao preço meio salgado, não comprei. A temática, que expõe o silenciamento das vozes femininas na sociedade, sempre me atraiu na história e é justamente por isso que a obra está aqui. 

///

Que mulheres escritoras vocês querer ler esse ano? Vamos trocar dicas!

Love, Nina :)

22 comentários:

  1. Oi Nina
    Eu também percebi que venho lendo mais mulheres, mas também nunca foi proposital e nunca escolhi livro pelo gênero do autor. Leio oque gosto, sendo de homem ou mulher. Achei bem legal as mulheres que escolheu para o projeto e estou bastante curiosa pra saber o que vai dar.
    Beijos

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
  2. Verdade, muita gente ainda tem preconceito com mulheres, mas sabe o que é engraçado? Quando uma mulher lança um livro bom ele é muito mais bombástico que o de um homem.
    Vou procurar as indicações.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  3. Oi
    Parabéns pelo projeto, estou lendo autoras Latinas e Africanas, que são as menos divulgadas, e, lógico, as brasileiras, também estou nessa mesma sintonia que você e apreciei muito os nomes apresentados.

    ResponderExcluir
  4. Ninaaa, eu não sabia que você também era blogueira <3 aliás, seu blog é lindo!
    Eu amei essa iniciativa de #leiamulheres, se mais pessoas fizessem isso, certamente quebraríamos essa coisa de que: mulher não escreve tão bem quanto homem.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Ótima iniciativa!
    Desejo sucesso para o projeto.

    ResponderExcluir
  6. Que post incrível! eu não conhecia nenhuma dessas autoras ma já fiquei curiosa para conferir as obras e saber mais sobre elas.

    ResponderExcluir
  7. Nina, espero que goste de Vênus em Escorpião! Depois você me conta? Nunca reparei se leio mais livros de mulheres ou não, mas garanto que três me acompanham sempre: Cecília Meireles, Clarice Lispector e Hilda Hilst. E já que você gista de livros, te convido a dar uma espiada numa revista on-line que estou tentando fazer: www.prazerdeler.net. E hoje (11/1) saíram poemas meus em uma bela revista literária, também on-line, a São Paulo Review. Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Nina, espero que goste de Vênus em Escorpião! Depois você me conta? Nunca reparei se leio mais livros de mulheres ou não, mas garanto que três me acompanham sempre: Cecília Meireles, Clarice Lispector e Hilda Hilst. E já que você gista de livros, te convido a dar uma espiada numa revista on-line que estou tentando fazer: www.prazerdeler.net. E hoje (11/1) saíram poemas meus em uma bela revista literária, também on-line, a São Paulo Review. Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Oi Nina, a única que já tinha ouvido falar era Uma, que aliás estou de olho neste Deacontruindo Una. Achei muito bom esta sua intenção de ler mais obras de mulheres que você ainda não conhece, espero que tenha boas surpresas que não deixe de dividir conosco.
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Olá Nina, tudo bem?
    Eu nunca parei para pensar no genero do autor quando escolho um livro para ler. Sempre é a historia que me conquista. Depois da sua reflexão fui conferir e percebi que quase 90% dos livros que eu leio são de autoras femininas. Mas sabe? vou continuar lendo os livros pelas historias e não pelos autores. Amei o post. Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá Nina, tudo bem?

    Parabéns pela iniciativa. Eu ao comprar livros procuro os gêneros que curto, pesquiso a qualidade deles, os projetos gráficos e as notas dos leitores no skoob. Eu tenho tantos livros de autores masculinos, quanto femininos, mas por gostar muito de fantasia, ficção científica, ficção histórica, suspense, terror e biografia, além de ficção, acabo tendo mais livros de autores masculinos, mas isso para mim não é algo relevante!
    Bjuss

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bem? Que projeto bacana. Eu naturalmente leio mais mulheres, deve ser pelos gêneros que sempre me atrairam, porém sempre fui "bitolada" a ler aquilo que está em alta. Meu projeto esse ano é quebrar esse molde, por isso suas dicas foram bem vindas. Adorei!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. OIe, tudo bem?
    Não fiz nenhum plano em especifico para ler livros escritos por mulheres esse ano, vou lendo o que vejo na minha frente, sem me importar se o autor é homem ou mulher. Acho isso uma grande bobagem, pois o sexo nunca definirá o quão bom você pode ser em escrita. Gostei muito da iniciativa, parabéns!
    OBS: Você já percebeu que a maioria dos blogueiros literários são mulheres? que somos a maioria no Skoob também? Isso é algo a se pensar...
    Beijos
    Blog Relicário de Papel

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Eu nunca parei para reparar se estava lendo livros de mulheres ou não, sou meio desligada e às vezes nem sei o nome do autor.
    Mas meus livros preferidos foram escritos por mulheres, disso eu tenho certeza hehe

    ResponderExcluir
  15. Olá! Ótima essa iniciativa! Vale super a pena compartilhar.
    Muito sucesso e ótimas leituras !!!
    bjooooooooo

    ResponderExcluir
  16. Muito legal sua iniciativa. E parando para pensar eu até leio bastante mulheres.
    Não conhecia nenhuma das que citou, muito bom conhecer.

    Boutique de Clichês

    ResponderExcluir
  17. Ler sobre mulheres e o que elas escrevem é algo que todas nós precisamos fazer para dar apoio. Eu to dentro dessa meta para esse ano!

    ResponderExcluir
  18. Hehe
    A anistia feminina ganhando espaço. Se bem que, poucos são os autores homens que já li na vida. Muito bacana, e tem até algumas autoras que conheço já.
    Linda iniciativa.
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Oi.

    Adorei seu post! Minha estante hoje está meio a meio... Mas alguns meus autores preferidos são mulheres, na verdade, foi pelo livro de uma mulher que eu comecei a gostar de livro. Seu post me ajudou a conhecer mais mulheres incríveis que quero conhecer esse ano.

    ResponderExcluir
  20. Adorei esse projeto, temos que combater o machismo em todas as plataformas existentes, amei o titulo "vênus em escorpião" além deu amar astrologia eu adoro poemas então será a combinação perfeita

    ResponderExcluir
  21. Sem querer fazer propaganda demais... Cara Nina e leitoras que ficaram interessadas no meu "Vênus em Escorpião" e talvez não o tenham achado para comprar. Por questões administrativas, só na sexta-feira, 10 de fevereiro, a editora Patuá o disponibilizou no www.patua.com.br. Abraços

    ResponderExcluir
  22. O nome correto do site é www.editorapatua.com.br

    ResponderExcluir

Seu comentário é super bem-vindo. Não esqueça de deixar o link do seu blog para eu o visitar assim que possível ;)