22 de janeiro de 2017

#Resenha de seriado: Desventuras em série

O único seriado que já resenhei no blog foi Faking It, em 2014. Apesar de já ter acompanhado (e acompanhar) alguns, tenho tantos outros posts para fazer que tudo o que gostaria de resenhar acaba não entrando na programação.

Assisti Desventuras em série no fim de semana passado e percebi que valia a pena re-organizar meu cronograma para resenhá-lo. Acho que quase todo mundo sabe que é inspirado nos livros de Lemony Snicket, pseudônimo de Daniel Handler. Os livros foram publicados no Brasil entre 1999 e 2006. Um filme foi produzido em 2004, mas unia apenas as histórias dos três primeiros livros.


Título original: A series of unfortunate events
Diretor: Barry Sonnenfeld
Duração: entre 42 e 64 minutos
Ano: 2017
★★★★★ 

Começo a resenha, de fato, dizendo que eu adoro bastante o filme. Quando foi anunciado que a Netflix planejava o seriado, confesso que não gostei. E continuei não gostando até depois do Neil Patrick Harris ser divulgado como Conde Olaf. Não sou fã de How I Met Yout Mother e conheço muito pouco do trabalho do Neil. E, claro, eu achava que não tinham como construir o personagem do Olaf de outra maneira senão daquela caricata e exagerada. 

Preciso dizer que o Conde Olaf é a segunda melhor coisa do seriado. Não é engraçadão, exagerado e sem sentido. Esse Olaf é muito mais próximo do personagem original: cruel, sombrio e ganancioso. Existem cenas em que é engraçado, para dar aquele alívio cômico, porque, afinal, a narrativa como um todo mescla drama com descontração - não é para ser algo maçante, senão espantaria o público. De modo que o seriado, de forma geral, conseguiu ser bastante fiel aos livros - à sua proposta, à sua condução dos fatos e à sua atmosfera. Definitivamente, o que os órfãos Baudelaire vivem nos oito episódios são desventuras em série. 

Já que mencionei os órfãos, os três também estão muito mais autênticos, com muito mais características originais. Violet é a garota engenhosa e fiquei muito feliz por vê-la amarrar os cabelos com frequência. Klaus é muito mais o rato de biblioteca que sempre imaginei que deveria ter sido no filme. E Sunny tem papel mais presente em muitas cenas, apesar de ser um bebê. Os três personagens foram muito mais cavados, muito mais revelados nesta adaptação. Fica evidente cada uma de suas características, manias e lembranças do passado. Funcionou, também, o fato de terem escalado atores que condizem com as idades dos personagens. Algo que me encantou foram as cenas em que Klaus ou Violet citam autores, filósofos e estudiosos, finalmente dando a entender o amor que sentem por bibliotecas e pelo estudo. No filme, achei que isso ficou completamente de escanteio. 

A primeira melhor coisa do seriado é o próprio Lemony Snicket, que participa e interfere nas cenas. No filme, ele parece meramente o relator da história dos Baudelaire, mas no seriado percebemos que ele tem papel ativo na narrativa: ele não somente conhece as crianças, como também todo o passado delas e de seus pais. Eu não me recordo se, nos livros, ele tem esse papel de narrador-personagem (pois faz pelo menos nove anos que os li, sendo que parei no quinto), mas achei essa inserção simplesmente genial e muito cativante. É o Lemony que, muitas vezes, dá o tom das próximas cenas, ora sendo engraçado, ora oferecendo informações valiosas, ora enganando o espectador.

Eu compreendo que as mídias são diferentes. Não dá para contar os 13 livros em duas horas. E, desse modo, o seriado cumpre incrivelmente essa função. A cada dois episódios, ele se dedica a narrar um livro - até então, temos uma temporada completa, com oito episódios, portanto, quatro livros já foram narrados. Como os três primeiros livros já são bastante conhecidos, por causa do filme, os episódios sobre eles não ofereceram muita informação nova. O ponto positivo, entretanto, são as informações não-óbvias, as que não compõem a storyline principal. A atenção é primordial, pois os episódios deixam muitas "pontas soltas" para serem complementadas em cenas posteriores. 

O desenvolvimento da narrativa, apesar de arrastada no início, começa a fazer sentido quando todas as informações, de todos os plots, se convergem. Ainda assim, o último episódio da primeira temporada não termina com "cara" de final - feliz, seguro ou bom. Termina na medida certa, fazendo com que queiramos saber muito mais e continuar a acompanhar as infelicidades dos órfãos e a ganância do Conde Olaf. 

Termino dizendo que me surpreendi bastante com o tanto que adorei o seriado. A abertura já é algo que nos ganha logo de início (e fica na cabeça por algum tempo, hahaha), mas os personagens são, sem dúvida alguma, a riqueza da produção. Cada ator conseguiu incorporar seu personagem de forma crível, graciosa e apaixonante. 

É melhor vocês (não) olharem! ;)






Love, Nina :)

21 comentários:

  1. Tô louca para assistir essa série, fiquei mais ainda depois de saber que o Neil estaria nela (sou muito fá de HIMYM).
    Amei a sua resenha <3

    Born in 1996

    ResponderExcluir
  2. A história de Desventuras em Série é lúdica, sendo em filme, ou série, acho que vale a pena assistir.
    O Neil deu uma cara nova ao Olaf o que com certeza fez uma diferença enorme.

    ResponderExcluir
  3. Que bom ler uma resenha da série, até que fim!!!
    Eu estou louca para assistir, eu amo o filme e pela suas impressões eu acredito que vou gostar muito da série também.

    ResponderExcluir
  4. Olá Nina, esse não é o tipo de série que gosto de assistir, já vi muitas pessoas elogiando e tal. Mas prefiro os investigativos. Bjs

    ResponderExcluir
  5. Look away, look away (8)
    Realmente a música fica na cabeça!

    Assisti apenas aos dois primeiros episódios, mas concordo com quase tudo o que você falou. Achei a narrativa bem fiel mas um tanto arrastada. Mas voc~e disse que depois melhora e tudo faz um melhor sentido, então vou assistir a todos os 8 episódios para formar uma melhor ideia. =)
    Também sou fã do filme <3 e agora pretendo ser da série.

    http://vicioseliteratura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oiii Nina, tudo bem?
    Eu to louca para assistir essa série, até hoje ainda não pude assistir porque não tenho netflix e preciso procurar para download. ótima indicação!
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
  7. Oii!
    Menina, eu sou uma das poucas que nunca parei pra ver série na netflix! Meu tempo é tão pouco que acho que se começar, não conseguirei me dedicar as leituras. Mas estou pensando em ver alguma antes da volta as aulas e essa já estava em destaque, por ter visto tanto comentários positivos.
    Parabéns pela resenha!
    bjs

    ResponderExcluir
  8. Olá! Que bom que o órfãos estão autênticos, com muito mais características originais. Realmente em duas foras de filmes não dá para contar uma história de 12 livros. Tomara que a série siga os livros, acho ruim quando muda e fica uma história totalmente diferente. Ainda não assisti mais quero. Saber que você se surpreendeu bastante só aumenta minha vontade de ver. Beijos'

    ResponderExcluir
  9. Sim, o Lemony é tipo um personagem da história no livro. Eu tava com medo do Neil como Olaf pq acho ele muito caricato desde o Barney, mas já que cê falou que ficou bom, vou conferir. Andei meio com medo de ver por isso, sabe? E porque os episódios são enormes hahaha mas acho que sendo Netflix não vão fazer a merda que o filme fez.

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem?
    Eu sou apaixonada pelo box desses livros e pretendo comprá-los ainda ano que vem. No entanto, eu assisti o filme - uma parte dele, confesso -, mas gostei bastante.
    Em relação a série, ele está na minha lista de próximos a serem assistidos, porque sei o quanto a Netflix arrasa com séries quando quer, kkk
    Enfim, amei a resenha e como explicou o que achou.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Oi Nina, não conhecia a série, por isso nem sabia do detalhe em que ela é baseada, ou melhor, inspirada. Não é o tipo de série que eu goste de acompanhar, mas vou falar com meus filhos, talvez eles se interessem.
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Olá Nina, tudo bem?

    Eu tomei conhecimento da série tem pouco tempo, ainda não assisti e pretendo fazer o quanto antes. Parece ser de fato muito boa a série, vou ver se assisto com a namorada, além do mais preciso ler os livros também!
    Bjuss

    ResponderExcluir
  13. Todos falando desse seriado e ainda não consegui assistir...
    Quanto mais leio a respeito, mais curiosa eu fico!

    Bj
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem? Quero muito assistir o seriado, mas confesso que estou para ler os livros primeiros, por isso vai demorar um pouco até conseguir assistir os primeiros capítulos. Todo mundo está elogiando e estou adorando. Ótima resenha!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oi Nina primeira vez que entrei aqui e adorei :) O que você achou do cenário? Adorei a série mas o cenário foi algo que realmente não gostei muito
    Adorei o post ;)

    ResponderExcluir
  16. EU AMEI ESSA SÉRIE!
    Super bem produzida.
    Quando lançou eu fiquei com receio de assistir por causa do filme, que é maravilhoso.
    Mas realmente foi surpreendente. Gostei muito.
    Bela resenha.

    ResponderExcluir
  17. Olá Nina, tudo bem?
    Preciso começar esse comentário agradecendo a sua resenha. Ouvi muito falar dessa serie recentemente, mas como não assisto muito TV acabei perdida. E não é que serie e boa? Quer dizer, foi isso o que eu entendi com a sua resenha. Assim que estiver com um pouco mais de tempo vou embarcar nessa aventura assistir sim. Espero gostar tanto quanto vocês. Beijos

    ResponderExcluir
  18. Olá! Ainda não vi a série mas estou curiosa.
    Assim que for possível e tiver a oportunidade, com certeza.
    Ótima sua resenha, bjooo

    ResponderExcluir
  19. Nossa confesso que também fiquei meio assim quando soube que viraria série, até ´por que tinha adorado o filme com Olaf Jim Carrey, mas quando soube também que seria Neil Patrick Harris , eu acreditei que o personagem seria bom, e vendo sua opinião, acredito que acertaram na escolha do personagem, então eu vou fundo assistir a série.

    Beijos

    Viviana

    ResponderExcluir
  20. Olá!
    Look away, look away... hahaha
    Fiquei bem apreensiva no começo porque achei o Conde Olaf do Jim Carrey sensacional, mas o Neil me surpreendeu de uma forma tão positiva que não poderiam ter achado ator melhor para interpretar o vilão. A série está maravilhosa e assisti tudo em apenas dois dias e agora estou aqui, esperando aflita a segunda temporada e querendo saber porquê a Netflix nos fez de bobos no sétimo episódio hahaha
    Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Nina, assisti ao seriado por esses dias também e tive algumas opiniões fortes sobre ele. Não li os livros, mas sempre gostei muito do filme de 2004 e logo que soube da adaptação da Netflix fiquei ansiosa pela estreia. Ao contrário de você, gosto bastante de HIMYM e ver o Neil Patrick Harris na série me deixou feliz, bem como quando assistia notar que a suposta mãe dos órfãos é a Robin, outra personagem de HIMYM.
    Quanto à série em si, vou ter que ser sincera e dizer que esperava um pouco mais. Por vezes estava achando a maneira como era conduzida um pouco irritante, especialmente a inocência dos enganados pelo conde Olaf. Tentei relevar imaginando que isso venha dos livros e que não há muito a fazer em relação a essa inocência a não ser aceitá-la.
    A cena da destruição da casa da tia Josephine foi fantástica, como já achava desde o filme. Já o final, com a revelação dos filhos daquele casal que vinhamos acompanhando desde o início, fiquei um tanto decepcionada. Realmente me deixei iludir pensando que as coisas se resolveriam tão facilmente haha

    AH, já ia esquecer de comentar, mas achei a abertura muuuito boa, como você bem disse.

    ResponderExcluir

Seu comentário é super bem-vindo. Não esqueça de deixar o link do seu blog para eu o visitar assim que possível ;)